Guto Naveira – Estilo e arte lúdica que encontra espaço em residências, empresas, galerias e ruas…

É fato que há quase uns 20 anos quando conheci Augusto Carvalho Naveira, moleque franzino e atentado,  nunca imaginava que iria se tornar um dos artistas de maior expressão na história das artes plásticas contemporâneas da nossa terra.

Guto Naveira é astuto, ele fez o caminho inverso da coisa. Com mais de 20 anos de idade foi embora de Campo Grande com sonhos que nem ele mesmo sabia quais eram, mas entre subempregos e tentativas frustradas de empresariado, como por exemplo um lava jato para carros, deparou-se em determinado momento de sua vida na grande metrópole de São Paulo, a encontrar-se consigo mesmo. Foi neste momento que até mesmo tirado de louco por uns e outros ele se encontrou. Lembrou que quando pequenino desenhava e como uma surpresa , começou, tentou, tentou, conseguiu e não parou mais. Encontrou-se com a arte, ou melhor, a arte o encontrou. Há quem pergunte: mas o que há de tão extraordinário assim na obra de Guto Naveira? A resposta é simples: a autenticidade.

Guto Naveira

Sua obra de tão autêntica tornou-se um novo estilo que mistura o clássico Pop Art com o tradicional cartoon dos desenhos animados e foi então intitulada  Pop Art Cartoon. Esse novo estilo criado por Guto, esboça bem a influência das vertentes tradicionais, com o coloridíssimo universo dos grafites de rua. Sua obra não é da escola de grafite, mas ao observá-la é impossível não remeter-se ao universo urbano. Seus personagens vão de vaquinhas amigáveis a robôs, personas e animais freaks e psicodélicos. 

De volta a Mato Grosso do Sul a pouco mais de 2 anos, nosso amigo Guto serve de exemplo para todos aqueles artistas anônimos sejam músicos, grafiteiros, b-boys, videomakers e MC’s que em determinado momento foram ou são tirados de loucos por alguns, para mostrar que sonhos podem virar realidade, e que para isso basta que nos encontremos e coloquemos em pratica e com força os nossos talentos mais do que nossos defeitos. Hoje o Guto não é nenhuma estrela super famosa, mas vive de sua arte e tem nosso respeito e prestigio  por isso. Salve Guto vida longa ao Pop Art Cartoon!!! Conheça mais sobre o trabalho do Guto Naveira no  blog Arte e Cartoon.

por @guifreizan

Arte Urbana: Grafite é atração turística!!!

Hoje, por várias cidades e centros urbanos do mundo, nota-se a presença expressiva de intervenções em grafite. É claro que em metrópoles como Nova York, Los Angeles, Paris, São Paulo, Madrid e Berlim as pinturas aparecem em maiores quantidades, mas há de se reconhecer que esse movimento de arte urbana disseminou-se e continua crescente no mundo todo, inclusive em aglomerados urbanos menores.  A facilidade com que a internet dispõe desse tipo de conteúdo e a nova tendencia social de compartilhamento de imagens através das tecnologias mobile, está formando cada vez mais público para o grafite, bem como ocasionando os intercâmbios culturais entre artistas classe.

Em Berlim na Alemanha por exemplo, alguns pedaços que sobraram do famoso “Muro de Berlim” , que dividia o país nas partes ocidental e oriental até 1989, tornaram-se galerias de arte a céu aberto como a East Side Gallery com 1.3km, além de ponto turístico obrigatório da cidade. Em São Paulo intervenções no minhocão ano passado uniram vários artistas em prol de uma cidade mais colorida. Não só o fato do muro e o minhocão serem históricos mas o fato de a arte aleatória e muitas vezes anônima estar presente nas suas extensões é que nos incita a indagar nossos governantes, industriais, empresários e a iniciativa privada do porque não realizar ações voltadas a esse público, o turista.  São oportunidades de interação que diverte as pessoas e além de tudo pode se tornar peça publicitária. É possível unir boa vontade, arte e planejamento para transformar a arte urbana em trabalho sério e fazer com que meros grafiteiros tornem-se artistas e que possam trabalhar e viver da sua própria arte. As cidades precisam  pensar nisso: terem espaços para grafites turísticos.

Confira algumas imagens da East Side Gallery em Berlim:

É um ponto turístico de grafite

Fonte: CI Central de Intercâmbios.

Papo de Domingo

É bem verdade que muitas vezes aproveitamos os dias da semana  mais do que no domingo. Mas o que será que fez esse “dia de folga” que Deus nos deu virar uma coisa monótona ? Talvez a própria rotina, o trabalho e os extremamente eventuais “eventos” que acontecem durante a semana, transformaram o domingo num dia de alem de descanso,  muita “lombra”, náusea e indisposição.

Por isso nossa dica é a seguinte: manter o equilíbrio sem exagerar muito de segunda a sábado para sobrar energia e aproveitar bem os domingos. Nesse primeiro Papo de domingo aproveitamos acompanhando  o rolê dos artistas Tox, Caju e ZZN (Danese) Gui Beto,  e Damas com stencil pelo bairro São Francisco região central de campão, bem em frente ao Teatro Imaginário Maracangalha. Entre os moradores de rua, o meio fio, os grafiteiros e a parede só havia uma coisa em comum: a ARTE. 

A arte atrai as pessoas aonde quer que elas estejam seja num museu, no mato ou no meio rua.  É isso que nos inspira!!! Domingo que vem tem mais…