Papo de Domingo

É bem verdade que muitas vezes aproveitamos os dias da semana  mais do que no domingo. Mas o que será que fez esse “dia de folga” que Deus nos deu virar uma coisa monótona ? Talvez a própria rotina, o trabalho e os extremamente eventuais “eventos” que acontecem durante a semana, transformaram o domingo num dia de alem de descanso,  muita “lombra”, náusea e indisposição.

Por isso nossa dica é a seguinte: manter o equilíbrio sem exagerar muito de segunda a sábado para sobrar energia e aproveitar bem os domingos. Nesse primeiro Papo de domingo aproveitamos acompanhando  o rolê dos artistas Tox, Caju e ZZN (Danese) Gui Beto,  e Damas com stencil pelo bairro São Francisco região central de campão, bem em frente ao Teatro Imaginário Maracangalha. Entre os moradores de rua, o meio fio, os grafiteiros e a parede só havia uma coisa em comum: a ARTE. 

A arte atrai as pessoas aonde quer que elas estejam seja num museu, no mato ou no meio rua.  É isso que nos inspira!!! Domingo que vem tem mais…

Anúncios

Dimossauro do Grafitti!!!

Paulo Cesar Silva, o Speto, é um dos maiores nomes da arte da grafitagem no Brasil. Trabalhando há 27 anos, Speto começou a ganhar dinheiro há 5 anos atrás, quando aprendeu a encarar o trabalho de forma mais realista. Acredita que para o grafiteiro, entender o mercado não vai afetar a imagem do artista. “Para ser um profissional, é preciso entender que o mundo não gira ao seu redor. É algo que vem com a maturidade, pois quando a gente é moleque acha que é o centro do universo. Eu já defendi tanto uma ideia que perdi clientes. Hoje, acho que não adianta ser radical: uma boa medida é ter cuidado com aquilo que realmente leva a sua assinatura. Neste caso, a identidade deve ser mantida. Mas, quem entende as diferentes mídias e as usa a seu favor, não se corrompe. Fama é diferente de carreira”. Durante três anos, ele acompanhou a banda O Rappa, em turnê pelo Brasil, pintando durante as apresentações do grupo. “Você divide com as pessoas o processo. Elas têm a possibilidade de ver o trabalho acontecendo”.

Speto é um dos mais experientes artistas da arte de rua e já está acostumado a perder sua privacidade no momento da criação, já que é no espaço aberto das cidades que muitas de suas ideias tomam forma. É em seu entorno, nos detalhes e pequenas surpresas, onde tira suas principais inspirações para suas criações.

Fonte: blogjusantos.ne10.uol.com.br